Novidades


28/04/16

DIREITOS E DEVERES

DIREITOS E DEVERES

Como fazer nossa parte no Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

 

Por conta do caráter insalubre das práticas radiológicas, técnicos e tecnólogos em Radiologia sabem bem que é fundamental um controle rigoroso das doses absorvidas, bem como o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Isso porque a radiação ionizante, apesar de invisível aos olhos, tem a capacidade de entrar no corpo e, inclusive, provocar alterações genéticas.

Mesmo que esse conhecimento esteja na ponta da língua dos profissionais da Radiologia, ainda se faz necessário que a sociedade compreenda a importância e o risco dessas técnicas. Como nessa quinta-feira (28/04) é celebrado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, vale a pena refletir sobre os cuidados a serem tomados ao operar os equipamentos de raio X.

Para a presidente do CONTER, Valdelice Teodoro, é essencial que cada profissional preze pela segurança em seu ambiente de trabalho. Entretanto, sabe-se que são vários os locais que insistem em descumprir a Portaria ANVISA nº 453/98 e a Norma Regulamentadora 32 (que dispõe sobre segurança e saúde no trabalho em ambientes de saúde).

“Entendo que quando os técnicos/tecnólogos têm acesso aos direitos sociais básicos, os deveres são cumpridos com excelência, da mesma forma que a sociedade ganha pessoas qualificadas e empenhadas para o exercício profissional. Caso existam irregularidades, nós oficiaremos os responsáveis para que se cumpra a lei. É importante que o profissional atue em conjunto por essa causa”, esclarece Valdelice.

O que fazer?

Se você é profissional das técnicas radiológicas e lida com irregularidades sanitárias em seu ambiente de trabalho (equipamentos sucateados, sala sem proteção radiológica, resíduos químicos sendo despejados em local impróprio) é necessário reportar o caso a Vigilância Sanitária. O órgão é responsável por regularizar quaisquer situações que estejam em desacordo com o ambiente de trabalho, no que diz respeito a saúde.

Caso o problema persista, o profissional deve reportar a situação ao Regional do seu estado e/ou formalizar denúncia para o e-mail assim@conter.gov.br. Em conjunto com os profissionais, o CONTER irá oficiar os responsáveis para que os problemas sejam pacificados.