Novidades


29/12/15

INCLUSÃO E SAÚDE

INCLUSÃO E SAÚDE

Bolsa Família diminui mortalidade e aumenta estatura de crianças

Mais saúde e crescimento para as crianças foram impactos diretos do programa, segundo pesquisa que pesou e mediu 360 mil crianças ao longo de cinco anos

O Bolsa Família contribuiu para a redução da mortalidade de crianças de zero a cinco anos em 19,4%, de acordo com estudo publicado em maio de 2013 pela revista inglesa The Lancet. O estudo mostra ainda queda de 53% na mortalidade infantil provocada por diarreia e de 65%, por desnutrição.

Outra importante conquista do Bolsa Família: o déficit de estatura média das crianças beneficiárias caiu pela metade (51%), dado que adquire ainda maior relevância ao levar em consideração que problemas no crescimento estão associados a maior taxa de mortalidade infantil, menor desempenho escolar e menor produtividade na idade adulta. A redução no déficit de estatura foi verificada em pesquisa que pesou e mediu 360 mil crianças ao longo de cinco anos seguidos.

Os impactos positivos do Bolsa Família na saúde das crianças ocorrem não apenas porque as mães usam o benefício para comprar alimentos de melhor qualidade nutricional. Para que as famílias tenham direito ao benefício, as crianças com menos de sete anos precisam passar por acompanhamento médico pelo menos a cada seis meses, o que permite a prevenção, detecção e combate das doenças que mais afetam a primeira infância: desnutrição, diarreia, anemia e peso incompatível com a altura.

Outro compromisso assumido pelas famílias é o de vacinar seus filhos. Com isso, mais de 5,5 milhões de crianças menores de sete anos estão com a vacinação em dia.

As condicionalidades do Bolsa Família refletem-se também na melhoria da saúde materna. Dados do Ministério da Saúde apontam que 99% das gestantes atendidas pelo Bolsa Família estão com os exames pré-natal em dia e que 88% passam por avaliação nutricional.