Novidades


17/11/15

AUDIÊNCIA PÚBLICA - DF

AUDIÊNCIA PÚBLICA - DF

CONTER defende a regulamentação do tecnólogo em Radiologia na Câmara dos Deputados

 

Na manhã desta terça-feira (17/11), o Plenário 10 da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, em Brasília/DF, foi palco de audiência pública que muito interessa aos profissionais e estudantes de tecnologia em Radiologia do Brasil. 

O Conselho Nacional de Técnicos em Radiologia (CONTER) participou da discussão doProjeto de Lei nº 2245/2007 - que regulamenta a profissão de tecnólogo e dá outras providências - e destacou, para deputados e senadores, a importância do tecnólogo em Radiologia para a sociedade.

A presidenta do CONTER, Valdelice Teodoro, reforçou a defesa dos tecnólogos em Radiologia ao lembrar que a profissão já consta na Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho (MTE) e é detalhada no Catálogo Nacional de Cursos Superiores de Tecnologia, do Ministério da Educação (MEC). Entretanto, sabe que a classe ainda esbarra na falta de regulamentação e de reconhecimento em âmbito federal.

A Presidente do CONTER, Valdelice Teodoro, defendendo a regulamentação do Tecnólogo em Radiologia na Câmara dos Deputados (Brasília/DF).

“Nós temos a necessidade da regulamentação da profissão do Tecnólogo. Tanto é que nós temos aqui, na Câmara, um Projeto de Lei que tramita e busca essa regulamentação para não entrar em conflito com qualquer outra profissão. O PL 3661/2012 está dentro dessa casa, inclusive, com uma morosidade enorme de caminhar”, argumenta a diretora presidente.

O encontro contou ainda com a presença de representantes do MTE e do MEC, bem como a participação de presidentes de conselhos e federações que buscam a valorização de seus profissionais no ramo tecnológico. No que compete à área da Radiologia, o posicionamento de valorização do tecnólogo na Câmara foi respaldado pela vontade constante desse profissional crescer em sua área de atuação, tanto no ramo científico quanto nos serviços de saúde prestados a sociedade.

“Trabalhamos com equipamentos aonde a tecnologia vem evoluindo muito rápido. Esses profissionais felizmente tem conseguido fazer uma especialização, uma pós-graduação, um mestrado, um doutorado... Todos eles estão atendendo esta profissão como a sociedade merece ser atendida na área da saúde pela tecnologia radiológica. Precisamos sim da regulamentação e do reconhecimento, para que o nosso profissional encontre, no segmento público, o mesmo espaço e as mesmas oportunidades que encontra na área privada”, finaliza Valdelice.

Para ver a audiência pública na íntegra, clique aqui.