Novidades


25/06/15

ESPÍRITO SANTO

ESPÍRITO SANTO

CRTR 13ª Região fiscaliza, notifica e autua irregularidades no interior do Espírito Santo

 

O Conselho Regional de Técnicos em Radiologia do Espírito Santo (CRTR 13ª Região) constatou, mais uma vez, o descaso das prefeituras com a saúde pública. Salas sem proteção radiológica, fios desencapados, equipamentos defasados e aparelhos novos encaixotados são apenas algumas das irregularidades encontradas na rota de fiscalização dos municípios de Irupí, São José do Calçado, Apiacá e Dores do Rio Preto.

A relação de descaso dos gestores públicos tem um fator principal: a falta de respeito com os profissionais das técnicas radiológicas. Confira aqui mais fotos da fiscalização.

Em Irupí, no sul do estado capixaba, o CRTR 13ª Região buscou encontrar soluções junto às autoridades municipais sobre o serviço radiológico do Pronto Atendimento 24h municipal. De acordo com o fiscal Josiel de Oliveira, os servidores se sentem ociosos e desvalorizados por não conseguirem exercer a profissão com o mínimo de dignidade.

“A processadora, sem nenhuma condição de uso, ainda estava sendo utilizada, mesmo agarrando as películas radiográficas, arranhando e prejudicando totalmente o diagnóstico. Fios desencapados, descargas elétricas, paredes e portas sem laudo radiométrico. O descaso a que estão submetidos chega a ser absurdo”, relata o agente do Regional. Ao questionar o prefeito sobre a situação, o Regional obteve resposta de que existe a intenção de terceirizar o Pronto Atendimento e entregar aos cuidados do Hospital Santa Casa de Iuna.

Demais municípios

No Hospital Estadual São José do Calçado, as salas não contam com proteção radiológica, tampouco com levantamentos radiométricos. O local não dispõe de espaço de repouso para os Técnicos em Radiologia, que descansam no chão com colchonete doado pelos próprios profissionais, sendo que todas as outras equipes possuem horários de descanso e revezamento. “Um profissional relatou que adquiriu pneumonia por repousar nessas condições. A ironia é ver uma equipe de saúde, que cuida dos pacientes, estar doente por conta do ambiente de trabalho”, destaca o fiscal Josiel.

Em Apiacá, a situação é grave pelo fato do Hospital José Monteiro ser filantrópico. O serviço de Radiologia no local foi fechado pela ausência de verba para mantê-lo em funcionamento. A sala de trabalho se tornou um depósito que possui até mesmo de bicicletas e estrados de cama. Destaca-se entre os objetos um aparelho radiológico em bom estado, porém, sem funcionamento.

Por fim, no município de Dores do Rio Preto, o Pronto Socorro da região também conta com um aparelho de Radiologia convencional novo, que está paralisado desde 2006. O equipamento, que jamais saiu da caixa, poderia auxiliar os pacientes na realização de exames radiológicos. A realidade, entretanto, obriga as pessoas a fazê-los em outras cidades, até mesmo no estado de Minas Gerais.

Denuncie

Diante do cenário apresentado, o CRTR 13ª Região expediu notificações e se mobiliza para oficiar o Ministério Público e a Vigilância Sanitária, na esperança de que as injustiças sejam revertidas e que se faça valer a Lei. Caso você, profissional das técnicas radiológicas, constate alguma irregularidade similar no seu ambiente de trabalho, envie denúncia à Coordenação Nacional de Fiscalização (CONAFI) pelo e-mail conafi@conter.gov.br. Manteremos o sigilo das informações e daremos todos os encaminhamentos necessários.